MIRCIANE RIBEIRO

Olá, pessoal! Quero contar um pouco da minha história.

Eu fui identificada com deficiência auditiva quando eu tinha apenas 10 anos de idade. Não se sabe o motivo da deficiência, pois alguns médicos falam que é genético devido a ter parentes com surdez na família paterna, já outros médicos falam que o tabagismo durante a gestação da minha mãe contribuiu com a minha perda auditiva, pois ela fumou bastante quando estava grávida de mim, porém, ela acha que os meus ouvidos foram perfurados quando era bebê por erro médico. Entretanto acho difícil, pois tenho três irmãos mais velhos, e dois deles apresentam perda auditiva. A outra irmã teve meningite, mas ouve pelos três (risos).

Então, independentemente da causa, o que importa é que comecei a usar o aparelho auditivo retroauricular nos dois ouvidos assim que fui diagnosticada, porém usava muito pouco, pois tinha vergonha e medo de sofrer preconceito, o tão famoso e aterrorizante ‘bullying’. Mas quando entrei na primeira faculdade, comecei a usar o aparelho do tipo micro canal (intra-auricular) e daí não deixei mais de usar. Mas por ser pequenininho, raramente alguém desconfiava ou perguntava sobre minha deficiência. O que ficava a desejar era a minha voz diferente, pois algumas pessoas achavam ou acham que sou de fora do país, outras acham que apresento lesão nas cordas vocais. Mas muitas não sabem que tenho a voz de surda, uma voz que é típica de quem tem uma perda auditiva profunda. 

Eu só tenho a agradecer a Deus por ouvir ainda o pouco que resta, levando em consideração a tecnologia com o uso das próteses auditivas que têm me ajudado bastante na minha caminhada e interação com a sociedade. O quadro clínico se encontra estacionado até hoje. Portanto, a superação é o nosso maior desafio que temos que enfrentar diariamente. E é com Deus à frente que conseguimos enfrentar e progredir para sermos melhores em tudo. Hoje faço minhas coisas do meu jeito, sou fisioterapeuta, fotógrafa, empreendedora e estudante de educação física. Quando você deseja algo, você pode, basta acreditar em seus sonhos e em você, nada nem suas limitações vai fazer você ser inferior, pelo contrário, você vai se surpreender quando descobrir que pode fazer aquilo que achava que não podia. A surdez é invisível, mas nós não!