LARA TAVANO SIQUEIRA

Descobrimos a surdez da Lara após observá-la bem, e recebemos diagnóstico quando ela estava com um ano e meio. A Lara sempre foi muito esperta e independente e por isso demoramos perceber, o teste da orelhinha do hospital foi positivo e nem pensávamos nisso até a fala demorar para acontecer, e nós não sabíamos nada sobre o assunto. É assustador ter um bebê tão pequeno e submetê-lo a uma cirurgia, mas precisamos neste momento fazer o melhor para nossa criança! Nesta idade a aquisição da fala seria mais natural possível, quanto mais rápido fosse feito o Implante Coclear (IC) .

Desta forma superamos nossos medos em conjunto com uma equipe de profissionais que nos deram informações e segurança, e hoje só temos a agradecer. Ela foi ativada com 2 anos e 2 meses.

Hoje a Lara tira de letra as atividades de uma criança de 5 anos. Mostra seu “papapá” (apelido do implante) para todos e tem consciência de que ouve através dele É super cuidadosa para não perder nem molhar, sabe trocar baterias e prendê-lo bem preso para não perder…Procuramos fazê-la independente para cuidar do IC. E ela respeita todas as deficiências porque deixamos sempre bem claro para as nossas filhas que por muitas vezes precisamos da ajuda da tecnologia para suprir a falta de uma das nossas funções, seja motora, de locomoção, auditiva ou intelectual. Isso realmente é o que importa no dia a dia para uma vida. Respeitar e ser respeitado, ajudar e fazer o possível para que todos sejam incluídos nas atividades da vida com respeito e dignidade.

Tenho muito a agradecer a você, Paula, que sempre nos traz informações de como é a vida do surdo que ouve com suas dificuldades e impressões. Para mim, como mãe, é gratificante e esclarecedor para lidar com as situações de hoje e do futuro, adolescência e daqui pra frente aprender cada vez mais é nosso objetivo. Muito obrigada pelo seu trabalho.