JÚLIA RIGUEIRA PORTO

Eu li o livro Crônicas da Surdez (me apaixonei, a  propósito! Logo comprando o próximo) e li vários depoimentos do site surdosqueouvem.com e me senti com vontade de escrever a minha história ,com prazer!

Eu me chamo Júlia, tenho 19 anos. E sou uma surda que ouve.

Ao nascer, tive icterícia. O certo seria colocar em um banho de luz para curar, porém no meu caso o médico não fez isso, fui para casa e tive uma febre alta, o que mais tarde descobriram que afetou minha audição.

Poucos meses depois, meu pai ligou uma furadeira na parede do meu quarto onde eu estava dormindo no berço, não acordei. Isso já criou uma suspeita. Eles encheram um balão e estouraram perto de mim, eu não reagi. 

Então meus pais me levaram ao médico, na época não tinha teste da orelhinhas. Eles não acharam nenhuma anormalidade em mim, pelo fato de que eu fui uma bebê muito esperta ,sempre atenta. Mas eles não desistiram da suspeita de surdez, insistiram, fui diagnosticada com Surdez Profunda Bilateral, foi um choque sim, na época não tinha informações como tem hoje.

Aos 8 meses, me levaram para eu experimentar um aparelho auditivo, e comecei sessões de fonoaudiologia. Até fiz exames para fazer o IC mas não pude, por ser muito caro e o sus só possibilitava para pouquíssimas pessoas. O plano de saúde não cobria naquela época. (Mas, hoje não vivo sem os benditos aparelhos auditivos, fazem parte do meu corpo.)

Minha mãe começou a buscar informações e livros sobre a surdez. E passou a me ensinar palavras, a falar e a usar a leitura labial, ela e minha avó. Aprendia em casa e na escola, tanto que me pularam de ano letivo.

Minha família sempre se dedicou muito por mim, por quem eu sou hoje, me aceito como sou. Sempre me apoiaram ,e ensinaram como enfrentar situações difíceis com a minha surdez mundo a fora. Sou muito grata a eles.

Até hoje, 19 anos, faço sessões de fono semanalmente, ela fez uma grande parte do meu desenvolvimento de fala e de audição com os AASI’s. Sempre me treinando. Isso me ajuda muito no dia-a-dia em conversações. 

Sou bilíngue, minha língua materna, o português e a minha língua secundária, Libras. Amo ambos idiomas. 

Conheci o projeto Surdos que ouvem no Instagram, e agora procuro esse projeto em todo lugar, estou sempre pesquisando! Acompanho os vídeos no IGTV, me sinto bem animada quando vejo, e eles me encorajaram a tomar uma decisão que estava tentando há anos, que era fazer a cirurgia do implante coclear, hoje decidi , vi que isso daria muitos benefícios para mim, abrir portas. Descobri que sou uma alta candidata ao implante.  Estou muito animada com esse projeto! Ah , os livros da Paula são maravilhosos, parabéns pelo site e pelo esforço por correr atrás de ajudar os surdos a vencerem as barreiras impostas pela sociedade!