FERNANDA FERREIRA

Sempre fui uma pessoa sociável, sempre gostei de cantar, estudar inglês, conversar, falar ao telefone com amigas e trabalhar. Na adolescência, percebia que tinha dificuldade para ouvir, mas achava que era coisa da minha cabeça. Alguns professores falavam que eu era desatenta e tinha dificuldade de concentração, mas sempre fui uma aluna esforçada nos tempos do colégio.

Iniciei minha carreira profissional como professora e a direção da escola dizia que eu gritava em sala de aula ao dar aulas. Mas eu não conseguia perceber. Foi então que fiz uma audiometria e foi constatada uma perda auditiva bilateral moderada neurossensorial.

Fiquei uns dois meses com medo de comunicar a escola sobre isso. Depois, tomei coragem e contei. No início não foi nada fácil assumir a deficiência auditiva. Depois de vários exames e testes, comecei a usar aparelho auditivo. Estou usando há 11 meses. O aparelho auditivo me deu uma nova chance de viver, uma qualidade de vida melhor e meu trabalho como professora melhorou muito! Sou uma surda que ouve.